sábado, 12 de fevereiro de 2011

ANNES BAGANHA


Com o nome completo de Domingos Rodrigues Annes Baganha, nasceu em Alcácer do Sal, a 20 de Fevereiro de 1847. Era filho de Luís José Annes Baganha e de Maria da Piedade Vaz Baganha. Fez os seus estudos no Arsenal da Marinha, onde ainda realizou o exame de mecânica, mas acabou por frequentar o Instituto Industrial, onde veio a concluir o seu curso devido à obtenção de uma bolsa de estudo no Instituto Agrícola em 1863. Em 27 de Janeiro de 1867 foi colocado, por decreto, como médico veterinário, no posto de Intendente de Pecuária do distrito de Faro, onde permaneceu durante 22 anos de muito trabalho científico e literário. Em 1899 abandonou o Algarve em direcção a Lisboa, após algumas desilusões na vida política.

Foi da sua autoria o recenseamento dos gados do distrito de Faro, efectuado em 1870, bem como a colecção de produtos agrícolas do Algarve, que esteve patente nas exposições de Lisboa realizadas em 1884 e 1888 e na exposição de Paris efectuada em 1889. Realizou ainda um estudo sobre a filoxera na região sotavento do Algarve, em 1886; o inquérito agrícola do distrito em 1887, etc.

Participou ainda em várias comissões de serviço no âmbito das suas atribuições, entre elas inspector do matadouro de Faro (Março de 1882 a Dezembro de 1888); pesquisa filoxérica nos concelhos do sotavento algarvio (1886); combate contra a difteria em Viseu (1889); combate contra a entrite infecciosa nos equídeos do concelho de Sintra (1889); serviço no combate à febre aftosa no distrito de Évora (1892); polícia do serviço sanitário em Santarém (1893). Foi director interino do Hospital Veterinário de 1892 a 1893.

Em 22 de Setembro de 1887 foi alvo de uma tentativa de assassinato em que lhe provocou profundos ferimentos. Segundo a imprensa da época terá sofrido quatro golpes de navalha que o deixaram bastante maltratado .

Anes Baganha foi igualmente um grande defensor do método pedagógico de João de Deus, de quem foi discípulo e recebeu o diploma que o habilitaria a formar outros professores do ensino primário nas escolas que o Governo Civil subsidiava e que ele fundou nas cidades de Faro e Portimão. Foi ele quem iniciou no Algarve uma série de conferências para demonstrar as vantagens da utilização do método de João de Deus. Fez diversas conferências em Faro e Portimão, e, nesta última localidade começou-se logo a utilizar este método, o que foi difundido através do jornal da terra que aconselhava todas as câmaras a seguir o mesmo exemplo. A sua irmã, Inácia Ludovina Annes Baganha Leal foi também uma das mais salientes figuras do ensino primário no Algarve, que também utilizava o método de João de Deus, fundando escolas primárias, algumas com a ajuda financeira de importantes figuras republicanas locais.

No campo literário, este autor deixou diversos trabalhos publicados como Rapida Notícia do Estado do Gado Lanígero no Algarve e Proposta para o seu melhoramento futuro (1873), Relatório Acerca do Progresso das Indústrias Pecuárias do Algarve (1874), Sempre Livres (1874), O Médico dos Animais - Tratado Prático e Popular que Ensina a Conhecer as Principaes Moléstias que Atacam toda a Qualidade de Gado em Portugal (1877), Camões (1880), Documento Para a História do Homicídio Frustrado (1888), As Vacas Leiteiras (1897), O Tratamento da Febre Aftosa (1902); O Cavalo: conhecimentos práticos do seu organismo (em co-autoria com A. Schwarz, 1904).

Colaborou ainda em vários órgãos da imprensa regional e em publicações de carácter político como a Encyclopedia Republicana (Lisboa, 1882), Jornal dos Artistas (Portimão, 1875-1877); O Distrito de Faro (1876-1913); O Contemporâneo (Lisboa, 1879-1881); Notícias do Algarve (Lagos, 1880); Jornal de Agricultura e Artes Correlativas (Porto, 1880-1883); A Arte Musical (Lisboa, 1899-1915).
Dispersou também a sua colaboração em inúmeras publicações de carácter agrícola como: Archivo Rural; Jornal Oficial de Agricultura; Agricultor Portuguez; Gazeta das Aldeias; Agricultura Portuguesa; Agricultura Nacional.
Participou no Congresso Nacional da Tuberculose (Coimbra, 1895), onde apresentou uma memoória intitulada Defesa da Saúde Pública contra a Tuberculose Bovina. Apresentou diversos relatórios no Boletim da Direcção Geral de Agricultura.

Manifestou também interesse pelas questões pedagógicas, referimos a sua defesa do método de João de Deus, e publicou nesse âmbito: Noções Elementares de Pedagogia; Compêndio de Moral; Analyse da Linguagem Portuguesa. Colaborou ainda com variadíssimas publicações ligadas à instrução e ensino.

Sócio de diversas associações como a Sociedade Protectora dos Artistas de Faro, membro da Scuola Dantesca Napolitana, entre outras.

Faleceu em Lisboa, em 6 de Fevereiro de 1911.

Sem comentários: