terça-feira, 20 de março de 2012

FÉLIX BERMUDES [1874-1960]


Foi fundador [nº5] do S.L.Benfica e seu Presidente [1916-17; 1930-31; 1945], atleta do clube [em futebol, remo, esgrima e ciclismo] e campeão nacional de tiro (representou o país nos Jogos Olímpicos de 1920 e 1924); foi da sua autoria a sugestão para a bem conhecida divisa do SLB, "E Pluribus Unum"; foi autor da letra do primeiro Hino do Benfica [“AVANTE, AVANTE P´LO BENFICA!!!"], de imediato censurado pelo governo; republicano, espiritualista e ilustre teósofo

[foi activista importante - aos 80 anos de idade era presidente do Ramo “Annie Besant” - e um dos dirigente (foi Presidente) da prestigiada Sociedade Teosófica de Portugal - fundada em 1921, entre outros, por Óscar Garção, João Antunes, Francisco Esteves dos Santos, Artur Nascimento, Silva Júnior, Domingos Costa -, fraternidade que sucedeu, possivelmente, à ocultista Academia Esotérica],

foi tradutor [a não perder a sua tradução do “If” de Rudyard Kipling, bem como os “Versos Pitagóricos”], ensaísta, homem de letras [foi presidente da sociedade de escritores] e célebre autor de teatro de revista, e um convicto opositor à Ditadura salazarista. O seu único irmão, Arnaldo Redondo Adães Bermudes, renomado arquitecto [de notar que o Monumento ao Marquês de Pombal, 1914, tem a sua colaboração], foi um notável republicano e maçon [iniciado na L. Fiat Lux, do Porto, com o n.s. Afonso Domingues]. Teve Félix Bermudes um filho e uma filha, Cesina Bermudes, cidadã integra e também ela activista da S.T.P., tendo sido uma das primeiras mulheres doutoradas em Medicina.

[voltaremos ao tema]

J.M.M.

Sem comentários: