quinta-feira, 27 de Fevereiro de 2014

MATEUS MARTINS MORENO JÚNIOR (Parte II)

Enquanto esteve em Angola representou a Sociedade Broteriana de Coimbra, tendo procedido ao levantamento e envio de espécies botânicas para estudo dos elementos desta sociedade científica. Ainda em Lubango integrou a direcção da Casa da Metrópole e serviu como delegado da Sociedade de Geografia de Lisboa. Cria um museu militar em Lubango e funda a revista Escoteiro da Huíla, entretanto vai leccionando no Liceu Diogo Cão, em Lubango. Desenvolve acções de propaganda junto da população indígena, realizou exposições e sessões de divulgação. Foi Chefe do Serviço de Informações do Governador Geral de Angola, tendo sido o responsável pela sua organização inicial.

Regressado a Lisboa, em 1950, foi o responsável pela organização da Exposição das Bodas de Diamante da Sociedade de Geografia de Lisboa. Pertenceu à delegação do Algarve para as Comemorações do V Centenário do Infante D. Henrique. Participou também de forma activa na comissão organizada pela Sociedade de Geografia para se erguer um monumento em homenagem ao General Henrique de Carvalho, em 1941, tendo desempenhado as funções de secretário desta comissão.

Mas a sua ligação ao Algarve e à imprensa local nunca esmoreceram. Manteve-se sempre na direcção da Alma Nova e colaborou com muitos periódicos algarvios. Refira-se ainda que foi fundador da Casa do Algarve em Lisboa, à qual presidiu entre 1952 até 1961. A partir de então foi seu presidente honorário. Nessa fase, realizaram-se inúmeras conferências na Casa do Algarve em Lisboa, reuniram-se em vários volumes esses trabalhos na série Estudos Algarvios, desenvolveram-se iniciativas como a homenagem a Júlio Dantas em Lisboa e em Lagos, descerramento do epitáfio de Coelho de Carvalho em Ferragudo, construção em São Brás de Alportel do monumento a Bernardo de Passos, criação da Casa do Povo da Conceição, freguesia de onde Mateus Moreno era natural e onde tinha família, prestou a sua colaboração para que se fizesse a construção do monumento a João de Deus em São Bartolomeu de Messines, desenvolveu campanha para angariar fundos que visavam a construção em Sagres de um monumento ao Infante D. Henrique (monumento este que acabaria por ser construído em Lisboa, junto ao rio Tejo). Martins Moreno faleceu em 19 de Maio de 1970, com 77 anos de idade.

Era casado com Rosária Fernandes Salgado Moreno. Pertenceu a diferentes organismos como a Cruz Vermelha Portuguesa, sócio do Instituto de Socorros a Náufragos, da Sociedade de Geografia de Lisboa, da Sociedade Cultural de Angola, da Casa da Metrópole em Luanda, onde foi director desde 1945, foi membro da União Nacional e da Liga dos Combatentes da Grande Guerra. Recebeu também as seguintes condecorações: Medalha Militar de Prata de Comportamento Exemplar, medalha Comemorativa da Guerra (1914/18), medalha da Vitória e o grau de Oficial da Ordem Militar de Aviz, entre outros reconhecimentos públicos.

Colaborou em múltiplos órgãos de imprensa regional, nacional e das colónias, onde se destacam as colaborações nas seguintes publicações: A Mocidade, Alma Nova, Correio do Sul, Boletim da Sociedade de Geografia de Lisboa, Boletim da Casa do Algarve, Panorama, Portugal Colonial, Revista de Artilharia, Revista Militar, Vida Algarvia, entre muitas outras publicações periódicas regionais e nacionais.

Bibliografia Activa:
- A Luta contra o Analfabetismo e o Problema do Ensino no Algarve, Congresso do Algarve, 1915;
- Prece ao vento (poemeto), 1915;
- De Portugal à Flandres -  Cinco cartas de guerra e Cinco Companheiros de Luta, 1918;
- Pátria e Exército : oração da bandeira, Lisboa, Ressurgimento, 1922.
- Minha Pátria (poema), 1923;
- A Sinfonia Macabra (Máximas de Kultur), 1920.
- O Valido (drama histórico publicado em folhetins no periódico Folha de Arte).
- Sangue d’Epopeia. A Artilharia Portuguesa na Flandres, 1921.
- A Carta (peça em verso, num acto), 1928.
- A Nova Guerra e a Artilharia, 1928;

- “Semana de Lisboa”, Vida Algarvia, Faro, 07-07-1929, Ano I, nº 2, p. 4, col. 1.
- “Semana de Lisboa: A Crise Ministerial e a sua solução”, Vida Algarvia, Faro, 14-07-1929, Ano I, nº 3, p. 6, col. 1 e 2.
- “Semana de Lisboa: A tentação do mar…”, Vida Algarvia, Faro, 28-07-1929, Ano I, nº 5, p. 4, col. 2 a 4.
- “A «Vida» em Lisboa”, Vida Algarvia, Faro, 04-08-1929, Ano I, nº 6, p. 4, col. 3 a 5.
- “A «Vida» em Lisboa”, Vida Algarvia, Faro, 11-08-1929, Ano I, nº 7, p. 4, col. 2 a 4.
- “A «Vida» em Lisboa”, Vida Algarvia, Faro, 18-08-1929, Ano I, nº 8, p. 4, col. 2 a 4.
- “A «Vida» em Lisboa”, Vida Algarvia, Faro, 01-09-1929, Ano I, nº 10, p. 4, col. 2.
- “A «Vida» em Lisboa: Crónica da Semana”, Vida Algarvia, Faro, 08-09-1929, Ano I, nº 11, p. 4, col. 2 e 3.

- Os Algarvios no Movimento da Expansão Portuguesa, 1931;

- Os quatro pontos cardeais do regionalismo algarvio, Parceria António Maria Pereira, 1934.
- Figuras coloniais / Mateus Moreno. - Sá da Bandeira, [1937]: Vouga. - 20 p.
Livro de Homenagem ao Prof. Fernando Frade: por ocasião de 70º aniversário. - Lisboa : Junta de Investigações do Ultramar, p. 383-419.
- Figuras coloniais : General Henrique de Carvalho, benemérito da pátria / Mateus Moreno. - [S.I. : s.n.], 1937 (Sá da Bandeira : Tip.Vouga. - 20 p. ; 23 cm. - Obra que referencia o General Henrique de Carvalho em África.
- A acção do exército no movimento colonizador de Portugal, Portugal Colonial. - Nº 45 (1934), p. 17.
- Fastos militares da ocupação do Sul de Angola [Ilustrado], Boletim da Sociedade de Geografia de Lisboa. - Série. - 58, 1-2 (1940), p. 30-65.
- Aspectos da defesa militar de Angola / Mateus Moreno. - [S.I. : s.n.], 1940 (Lisboa : L.C.G.G.. - 13 p. ; 23 cm. - Obra que se debruça sobre o sistema militar, as forças armadas e a segurança assegurada pela mesma em Angola.
- “Aspectos de defesa militar de Angola”, Revista Militar, Outubro de 1940.
- A missão nacionalizadora do exército no ultramar, O Mundo Português. - Vol. 9, 106 (1942), p. 441-444
- Construtores do Império / Mateus Moreno. - Lisboa : [s.n.], 1943. - 15 p. ; 22 cm. - Revista de Artilharia. Obra que referencia o General Henrique de Carvalho em África.
- O Colégio Militar (Esboço monográfico), Lisboa, 1944;
- Fastos militares da ocupação do sul de Angola - Lisboa : Agência Geral das Colónias, 1945. - 54 p. : il. - Pelo Império ; 108)
- A juventude de Angola lições de patriotismo, Casa da Metropole, 1946;
- Possibilidades de Angola para as indústrias do saco e do papel, Luanda : Casa da Metrópole, 1947. - 55 p. : il. ; 23 cm. - Cadernos coloniais de propaganda e informação, n.º 13.
- Corporativismo e propaganda colonial / Mateus Moreno. - Luanda : Casa da Metrópole, 1947. - 32, [3] p. ; 22 cm. - O corporativismo e a propaganda colonial em Luanda, Angola.
- Subsídios para estudo das regiões de além-Cunene, Mensário administrativo : publicação de assuntos de interesse ultramarino / direcção dos Serviços de Administração. - Nº6 (1948), p. 31-33
- Exposição comemorativa das Bodas de Diamante – Ilustrado, Boletim da Sociedade de Geografia de Lisboa. - Série 68, 11-12 (1950), p. 633-686
- O Algarve rende homenagem a Trás-os Montes na evocação de um dos seus filhos mais ilustres feita por um insigne escritor militar algarvio e heróico combatente das campanhas de Angola - Publicado no «Jornal de Benguela», Angola, de 3-1-1955.
O Coronel Bento Roma (1884-1953) : homenagens e consagrações em 1954 e 1955 / pref. Ferreira Martins. - Lisboa : [S.N.], [1955?]. - P. 155-158.
- Hino de Sagres [ Música impressa] : prémio "Libânio Correia" do concurso musical promovido pela Casa do Algarve, Lisboa, 1957 / Elvira de Freitas, Letra de Mateus Moreno. [S.l. : s.n.. 1957.
- Sob os signos de Ossónoba e do turismo, Panorama, IV série, nº 3 (1962)- Páginas não numeradas.
- In Memoriam – General José Paulo Fernandes;

Colaborou regularmente com o semanário algarvio Correio do Sul onde publicou alguns trabalhos que merecem particular menção: um conjunto de artigos publicados entre 22 de Junho a 3 de Agosto de 1941, sob o título “Artilharia e Artilheiros do Algarve” e ainda uma série de mais de duas dezenas de artigos subordinada ao título “Medalhões Algarvios”, onde esboçava traços biográficos e biobibliográficos detalhados sobre algumas das mais personalidades algarvias mais em evidência e que merecem consulta dos estudiosos.

O corpo do Major Mateus Martins Moreno foi sepultado no talhão dos Combatentes, no cemitério do Alto de S. João em Lisboa, a 20 de Maio de 1970.

BIBLIOGRAFIA CONSULTADA:
- Dicionário Cronológico de Autores Portugueses, Vol. III, Coord. Eugénio Lisboa, Org. Instituto da Biblioteca e do Livro, Publicações Europa América, Mem Martins, 1994.

- “Da Vida que Passa: Major Mateus Moreno”, Correio do Sul, 28-05-1970, Ano 51, nº 2707, p. 1, col. 2 e 3, p. 4, col. 2 e 3.

- Marreiros, Glória Maria , Quem Foi Quem? 200 algarvios do século XX, Edições Colibri, Lisboa, 2000.

- Mesquita, José Carlos Vilhena, “A Imprensa Republicana no Algarve”, José Mendes Cabeçadas Júnior e a Primeira República no Algarve [Catálogo da Exposição], Coord. Luís M. Guerreiro e Diogo Gaspar, Comissários Científicos: Elsa Santos Alípio/Artur Barracosa Mendonça, Câmara Municipal de Loulé. Divisão de Cultura e Museus, Loulé, 2010.

- Quem é Alguém, Portugália Editora, Lisboa, 1947.

A.A.B.M.

Sem comentários: