domingo, 6 de junho de 2010

RITUAL DA CARBONÁRIA PORTUGUESA





RITUAL DA C.P. AUTORIZADO PELA V. JOVEN PROTUGAL Traç. em Jerusalem, no Gr. Firm. Fl. Portugueza, aos 15 de Dezembro de 1910, 11 p.

NOTA: O ritual da C.P., em cima apresentado com a capa e dois curtos (e curiosos) excerptos do opúsculo [via espólio A.A.B.M.] está, de algum modo, aproximado da descrição feita na revista ABC [nº356, de 12 de maio de 1927] e citada abundantemente no livro "A Carbonária em Portugal" [Livros Horizonte, pp. 20-23], de António Ventura.

A Venda "Jovem Portugal" era o Órgão Supremo da Carbonária Portuguesa, a secção mais secreta da Carbonária Portuguesa. Os seus membros [Mestres Sublimes] não se conheciam. O seu Presidente era o Grão-Mestre Sublime, o único que os conhecia e o único que "comunicava" com a "Alta-Venda" [órgão de gestão da C. P. ou seu poder executivo, e seu dinamizador. Era composto pelo Grão-Mestre, eleito na Venda "Jovem Portugal", e mais quatro Bons Primos. Os seus cinco membros mantinham-se secretos, mesmo para a "Jovem Portugal", só o G.M.S. conhecia toda a organização. Alguns dos membros que fizeram parte da "Alta-Venda" ("houve seis Altas Vendas”, cf. Episódios da Minha Vida, de Magalhães Lima, p.280), foram: Luz de Almeida (n.s. La Fayette), António Maria da Silva, Machado Santos, Franklim Lamas (chefe da barraca Revolta), César de Vasconcelos, Henrique Cordeiro, José Maria Cordeiro, António dos Santos Fonseca, J. M. Santos Júnior, Ivo Salgueiro, José Soares, Silva Fernandes, Emílio Costa, Ferreira Manso – cf. ibidem; consultar, ainda, a importante obra de António Ventura, “A Carbonária em Portugal”, Livros Horizonte, 2004, pp.14-15].

A Venda "Jovem Portugal" tinha como competências "velar pela observância do ritual, nomear os Juízes do Tribunal Secreto e constitui-se em Alto Tribunal, quando necessário" [in Episódios da Minha Vida, de Magalhães Lima, p.274], eleger o Grão-Mestre e o Grão-Mestre Adjunto. Isto é a Venda “Jovem Portugal” desempenhava as funções de poder judicial [ver António Maria da Silva, "O Meu Depoimento", I volume, p. 172] e "nomeava e escolhia os membros da “Alta-Venda".

Estiveram à frente da Venda "Jovem Portugal", Luz de Almeida [Grão-Mestre Sublime] e, após a sua fuga de Portugal (22 de Janeiro de 1909, para Paris), ficou (por delegação de Luz de Almeida) a desempenhar as funções de poder judicial e de Gão-Mestre Sublime, António Maria da Silva [A.M.S. foi maçon da Loja Solidariedade (iniciado em 1902, com o n.s. Desmoulins; ascendeu ao grau 33.º do REAA, tendo pertencido ao seu Supremo Conselho desde 1926, e entre 1915-26 foi Gão-Mestre Adjunto do GOLU) e foi iniciado na Carbonária em Julho de 1908, numa fábrica de licores situada na Rua do Bemformoso, pertencente ao "carbonário e montanhês" (maçon da Loja Montanha) Acácio Santos. Na mesma sessão foi iniciado Machado dos Santos - ibidem].

J.M.M.

3 comentários:

Anónimo disse...

Sr. J.M.M., pode enviar-me o seu email, pois não consigo visualizar qual é?

mitrasgrego36@gmail.com

Obrigado
BP

Almanaque Republicano disse...

Caro BP:

O email está no lado direito do blog, ao cimo.

Seja como for, o email do blog é

almanaquerepublicano@gmail.com

Ctos

JMM

João Batista disse...

A Carbonária, por ser Universal, deveria ser mais unida. Afinal de contas, um BP.'. Carbonário é um irmã o para sempre!
A Alta Venda Carbonária do Brasil, está de P.'. e a O.'. para os BB.'.PPr.'. Portuguêses!
altavenda@carbonaria.org desde 1984.
BPr.'. Giuseppe