domingo, 20 de julho de 2014

SOCIEDADE PROMOTORA DAS BELAS-ARTES


FOTO de Grupo da Sociedade Promotora das Belas-Artes (fundada a 8 de Agosto de 1861, em Lisboa) [que na sua fusão com o Grémio Artístico (1890) – ex-Grupo do Leão (1880) – deu origem à Sociedade Nacional de Belas Artes (SNBA), aprovada pelo Alvará de 16 de Março de 1901. Sobre a Sociedade Promotora das Belas-Artes, ver os “Estatutos da Sociedade Promotora das Bellas Artes em Portugal”, Lisboa, Typ. Universal, 1876. A primeira exposição da Sociedade é datada de 1862. Curiosamente, Rafael Bordallo Pinheiro faz a sua estreia nos salões da Sociedade, em 1868]:

Zacarias d’Aça (1839-1908), escritor | José Maria Alves, médico | Joaquim Pedro de Sousa, artista plástico | Francisco Lourenço da Fonseca (1848-1902), médico e escritor | José Ferreira Chaves (1838-1899), pintor | Luís Ascêncio Tomasini (1823-1902), pintor | José Rodrigues (1828-1887), pintor | Júlio de Castilho (1840-1919), 2º visconde de Castilho, escritor e olisipógrafo | Francisco de Assis Rodrigues (1801-1877), escultor | Domingos de Sousa e Holstein Beck (1897-1969), 5º duque de Palmela | Carlos Krus, artista plástico / Joaquim Nunes Prieto (1833-1907), pintor | José Gregório da Silva Barbosa.

via Arquivo Municipal de Lisboa, com a devida vénia]

J.M.M.

2 comentários:

manuel santos disse...

Boa tarde
O meu trisavô Francisco Lourenço da Fonseca, vem identificado na foto acima como pintor, coisa que nunca foi. Nada referiu nas suas memorias sobre essa eventual tendência artistica, tendo abundantemente descrito nessas linhas as suas actividades ao longo da vida. Não sei donde nasceu esse equivoco, mas poderá ser confirmado, por exemplo, na Enciclopédia lusa -brasileira, publicação próxima à data da sua morte.
Deixo esta nota para que no futuro não se adicione mais uma actividade a um homem que teve uma vida já de si bem preenchida.
Melhores cumprimentos
Fernando Fonseca

Almanaque Republicano disse...

Caro Senhor: Grato pela missiva. De facto o seu estimado trisavô Francisco Lourenço da Fonseca não pode ser referido como "pintor". Teve a fineza de nos alertar para esse equívoco, o que agradecemos, e foi de pronto corrigido.
Devo dizer que na fonte primeva - Arquivo Municipal de Lisboa - ainda (neste momento) se refere ao seu trisavô como ... pintor. Erro nosso acreditar assim em fontes consideradas fidedignas. Aliás cada vez mais os erros se repetem. Muito obrigado pela atenção, deixo-lhe o link da FOTO, acima e despeço-me com os melhores cumprimentos

http://arquivomunicipal2.cm-lisboa.pt/X-arqWeb/SearchResultOnline.aspx?search=_OB%3a%2b_QT%3aMFN_207019_Q%3a_EQ%3aT_D%3aT___&type=PCD&mode=0&page=0&res=1&simple=1&auth=UGN8gV9zTaxh5%2fdRIshnlCsHRREvEofviWBVfkHAS80%3d

J.M.M.